quarta-feira, 20 de maio de 2015

Sobre delicadeza, doçura, beleza, paciência, amor e coragem.

Hoje vi uma mulher, dessas que eu admiro muito, falando que era muito feminista. Eu achei fantástico. Uma mulher de verdade tem que ser feminista. Mas, na mesma hora eu falei, "mas eu sou muito machista, eu acho que o cara vai trabalhar e a mulher fica em casa cuidando do filho dela". Dizer isso foi como uma mocinha, em pleno século quinze, dizer pra mãe e suas amigas que não via a hora de conquistar o seu próprio império e com o dinheiro partir em uma série de viagens marítimas descobrindo o mundo. É um absurdo uma mulher hoje querer cuidar de um filho, é ridículo um homem trabalhar. Ao mesmo tempo eu pensei em como feminista eu era.
Na hora eu tava ouvindo 7/11. Hoje tenho certeza que só ama Beyoncé (digo, a obra de arte inteira que ela é) quem aprende a se amar, quem é muito amada e que ama muito alguém. Ela é rainha.
Acho lindo como ela sempre tá apaixonada nas músicas dela e como ela sempre fala que faz tudo pelo cara que ela tá gostando. Ao mesmo tempo ela canta músicas falando que a mulher tem que se aceitar como é, perceber como ela é preciosa e ela pode conseguir o que ela quiser, seja uma família com o cara que ela tá apaixonada ou virar The CEO. 
É fora de série o poder que uma música dela te dá! É algo como, "don't mess up with me, I'm my own boss. I say the rules".
E aquele episódio em que o Kanye West subiu num palco pra dizer que a Beyoncé merecia o prêmio mais que a Taylor Swift (e CAAAAAAAAAAARA!!! como que dão um prêmio pra Taylor ou pra quem quer que seja quando tem a Beyoncé na disputa???!!!) e ai quando a B ganhou o premio dela, ela deixou que a Taylor voltasse no palco e terminasse seu discurso. Não foi tipo "eu estou acostumada a ganhar, pode vir falar ao invés de mim", mas "eu lembro como me senti quando tinha dezessete anos e estive ganhando meu primeiro prêmio. Come on and have your time". OH CHRIST! 
E o jeito como ela contou pro Jay-Z que tava grávida... Antes de começar a cantar ela fala "quero que cantem como se sentissem o amor que está crescendo em mim". Spooooillerrrssss!!! 


Resumindo, o feminismo de que eu falo, não é esse "ah sou mulher vou provar pra essa porrada de homem que sei fazer tudo e ainda melhor", mas "também posso fazer isso, não me exclua por eu ser mulher" e "não me obrigue a fazer o que eu não quero porque eu sou mulher!". Isso é mais que "feminismo" é lei geral da vida. 


e para o Arthur eu gostaria de dizer que eu canto meu coração quando ouço "End of Time". <3 
lost of love

terça-feira, 19 de maio de 2015

Mean Girls

Não sei se estou em momento de ansiedade, mas pelo que vi, só mean girls conseguiu me acalmar. É O MELHOR FILME! Aqui vão minhas cenas favoritas, que são muitas. 


She's Gorgeuos! 
"she fractured her spine and she still looks like a rockstar"

I'm a mouse! Duh...!





The coolest people you will ever met



“Don’t have sex, because you will get pregnant and die! Don’t have sex in the missionary position, don’t have sex standing up, just don’t do it, OK, promise? OK, now everybody take some rubbers.”

an "ex"-wife

"I'd never felt this feeling before. I could hear my heartbeat in my ears. My stomach felt like it was going to fall out my butt. My throat felt like I dry-swallowed a big pill!"
everyone knows it.






- It's just plastic.
- NO!

- Look, I'm a queen!
- Me too

The song is amazing

domingo, 17 de maio de 2015

Daisies

Enquanto eu navega na Rookie - aliás, that's my current mood - encontrei um filme soviético, chamado Daises. Eis um trecho da cena inicial


A wikipedia disse o seguinte: "Innovatively filmed, and released two years before the Prague Spring, the film was labeled as "depicting the wanton" by the Czech authorities and banned."

Você pode estar se fazendo a mesma pergunta que eu - ou não, se você for bem educado - "o que raios é a primavera de Praga?". A história é fantástica.
Após a Segunda Guerra Mundial, o estabelecimento da ordem bipolar pretendia colocar o mundo sob os ditames de dois projetos hegemônicos concorrentes entre si.
Apesar de estar alinhado às diretrizes do bloco socialista, os dirigentes tchecos, um novo grupo de intelectuais comunistas, representados por Alexander Dubcek, pretendia dar uma “face mais humana” para o socialismo. Com isso, o novo governante empreendeu uma série de reformas que ampliavam os direitos civis, as liberdades individuais, prometia restabelecer a liberdade de imprensa, a liberdade de culto religioso e a formação de novos partidos políticos.
Tais modificações causaram verdadeiros arrepios aos líderes comunistas soviéticos de orientação ortodoxa. Buscando reverter tal situação, os líderes do Pacto de Varsóvia convidaram Dubcek para discutir a “ameaçadora onda contra-revolucionária”.
O novo líder da nação tcheca se negou a participar dessa reunião. A recusa indicava o favor de Dubeck às transformações intensamente defendidas por diversas parcelas da população, principalmente os jovens.
Em agosto de 1968, uma tropa composta por 650 militares dos exércitos da URSS e outros aliados realizou a ocupação da capital da Tchecoslováquia. Ao mesmo tempo, as autoridades russas destituíram Dubcek do seu posto político. Em resposta, a população passou a realizar uma série de protestos.
Alguns jovens pacifistas tentavam conversas com os solados, requisitando a sua retirada ou deitando-se na frente dos imponentes tanques militares. Os mais radicais partiam para o confronto direto lançando coquetéis molotov contra os soldados estrangeiros. Ao fim dos conflitos, foram contabilizados 72 mortos e 702 feridos. No fim da década de 1980, a chegada de Mikhail Gorbatchev ao governo russo permitiu que a abertura política tcheca finalmente acontecesse.
Por Rainer Sousa - Graduado em História
I'm stunned! Amazed! How great it is... O diálogo das duas, logo no início do filme, é descarado. Eu, se fosse um soviético, teria pavor das margaridas. Imagino a consicência que esse filme poderia ter trago. Mas, mesmo censurado, os jovens foram fantásticos. A importância da liberdade é tamanha que para esse jovens tchecos não deve ter sido nada demais subir num tanque e conversar com um soldado, tentando conscientiza-lo acerca da prisão em que vivia e que em volta de si mesmo agarrava. Isso me lembro de um amigo que em um dos protestos da chama "primavera brasileira", esteve na frente de toda a multidão e disse que falou para um dos policiais: "Com licença senhor... Como é estar desse lado? Como é vestir essa farda e usar de suas armas para oprimir um povo que também luta por você? Meu senhor...O senhor também anda de ônibus, o senhor também para os tubos de impóstos que nós pagamos, o senhor também tem, assim como nós, que se foder de trabalhar para dar educação de qualidade para os seus filhos, o senhor também é explorado, assim como nós... Qual é a sua luta? Qual é sua causa? Quem você está defendendo?". Achei a ligação fantástica, imagino inúmeros jovens tchecos fazendo quase a mesma coisa com os soldados.

Quase tive uma discussão sem fim com o Arthur porque a gente começou a discutir sobre o conceito de liberdade. Só consigo concluir que é relativo, cada um cria a sua própria, mas ninguém deveria ser privado dela.

MAUDE: I should like to change into a sunflower most of all. They are so tall and simple. What flower would you like to be?HAROLD: I don’t know. One of these maybe?
MAUDE: Why do you say that?
HAROLD: Because they are all alike..
MAUDE: Oooh, but they are not. Look. See – some are smaller, some are fatter, some grow to the left, some to the right, some even have lost some petals – all kinds of observable differences. You see, Harold, I feel that much of the world’s sorrow comes from people who are this, and allow themselves to be treated as that…
Each person is different, never existed before and never to exist again. Just like this daisy

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Black Smoke

"Se eu fosse rica eu seria tão estilosa ia comprar cada coisa massa .. só q eu tenho que me conter pq ainda não é a hora, mas escreve isso eu vou ser muito estilosa kjfkdjfkjdskfljds"

Esse foi o lamento da Vick sobre essa vida que não deixa a gente ser. Inspirada nela e especialmente para ela, vou publicar aqui meus moodboards. Obviamente, inspirados nos moddboards da Tavi e os da Adele, que nesse assunto (e em muitos outros) são minhas queens.

Esse mês tudo que é relacionado a witch tem rondado nossas cabeças. A ideia de uma mulher forte, responsável por seus atos e capaz de decidir seu destino como quiser, vaidosa. Não imagino bruxas como seres que usavam seus dons para fazer mal as pessoas, mas exclusivamente para conquistar seus desejos, como a Sabrina que caçava gatinhos. Mas, esse moodboard é uma extensão disso, é principalmente sobre o preto. Porque... considerando a frase da Vick, tem coisa mais estilosa do que uma roupa preta?








 
  




quarta-feira, 13 de maio de 2015

Todo artista tem um auto retrato

A crise de fazer vinte anos é horrível. Eu queria voltar no tempo e poder me encontrar comigo mesma de um tempo atrás. Lembro do dia em que, chegando em casa num dia de férias, me preparando para passar uma temporada sozinha, eu liguei a tv e comecei a ver tudo o que é sólido. Uma aprendizagem ou o livro dos prazeres. Na época eu criei esse blog porque eu senti que, sinceramente, eu jamais seria a mesma Brunna. Criei esse blog justamente porque eu via turbilhão dentro de mim começar a se formar. Eu estava, como se diz, em polvorosa, pronta pra explodir. A descoberta de mim mesma, à moda da Clarice, veio em tempo certo. Eu tenho certeza que aquela foi a melhor versão de mim porque eu estava em total, digo t-o-t-a-l, sintonia comigo mesma. Todas as coisas a meu redor eram apenas uma extensão do meu eu, que é coletivo. 

o amor pelo Kaco, a paixão pelo professor, as lágrimas que eu derramava ao ler poemas - eu achava que isso não fosse capaz. Lembro de todas as vezes que escrevia aqui e começava a chorar, não de tristeza, mas porque perceber a minha grandeza e as minhas capacidades me assustavam, eu não sabia do que era capaz. Eu não sabia que havia recebido um dom de escrever aquilo que ninguém, no mundo seria capaz. Ninguém, nem eu mesma, entende porque eu entrei na faculdade de letras, mas onde mais? Eu sou rainha e escrava das palavras, apaixonada pela minha própria língua.

Eu mesma me construí e escolhi quem faria isso. E hoje eu morro de saudade daquela Brunna. Eu queria hoje ter um sonho e nele eu teria a bênção de estar com a Brunna por no mínimo vinte minutos, eu morreria pra ouvir todas as coisas loucas que ela tinha pra falar, eu estaria igualmente entusiasmada quando ela me contasse como o mundo estava se mostrando pra ela e como ela se percebeu dentro disso. Eu adoraria poder dizer a mim: você é a melhor de todas essas coisas, porque esse mundo em que você existe é totalmente seu. Sempre me incomodava de sempre começar qualquer texto com "eu", porque estaria na cara que eu era egoísta. Mas a minha vida é uma ode a mim. 

Hoje, chegando do trabalho, eu senti aquilo na garganta. Quem mais que a Tereza pra me explicar? E assisti um episódio de Tudo que é sólido, um muito engraçado, um que me matou de saudade. E a saudade ela só serve pra isso mesmo, pra matar a gente, principalmente a mim que nasci pra morrer de amor.

Vou começar a ler um livro que "ganhei" de alguém muito especial, mas que nunca foi registrado. Fica agora eternizado nessas entrelinhas. É da Lygia Fagundes Telles e se eu bem sei ela é uma outra Clarice, isso basta. O título do livro, que é de contos, é "mistérios". A capa é uma pintura de Pierre Auguste Renoir. Renoir! !  !  ! Encontrá-lo agora foi como encontrar pela primeira vez o amor da sua vida com o qual você sonhou inúmeras vezes, adorando-o com a devida devoção.



(untitled)

Amor, 
você pediu pra eu e escrever e eu até te entendo que eu deva escrever, porque eu adoro escrever sinceramente, adoro de todas as formas. Poderia digitar por horas e horas e horas. . . 
Eu também tenho medo, tenho medo que você se perca em você mesmo, que as suas ideias te inundem e você ache a tristeza algo bom e eu acabe perdendo o meu arthuzinho alegre que eu amo. Eu amo. Como sei que eu amo? Porque eu fico imaginando como era minha vida antes de você e parece que você inundou tudo, porque automaticamente eu ligo a você; qualquer imagem minha no futuro está ligada a você. Amor, meu querido, é quando a gente sente pela pessoa uma admiração, um carinho, um sentimento de "não vou nunca te fazer mal", uma sensação de "eu me sinto bem perto de você", algo como "eu queria que você nunca saísse da minha vida". Amor é sentimento, é vontade, é pensamento, é isso. É algo maravilhoso e é tudo o que precisamos, porque é algo calmo, não é sofrimento, não é desespero, amr não é saudade, amor é espera, amor é paciência e tranquilidade. Eu, as vezes, sinto que você não sente o amor que eu sinto, o seu amor é diferente. Poderia usar algumas palavras para descrever o teu amor? 


(poste no seu blog as palavras que eu vou entender)


O amor, Arthuzinho, tem que ser paciente (talvez no sentido de esperar, de ter calma, de por exemplo, se você não está perto de mim agora eu vou ter paciência e esperar até que chegue o momento oportuno de ver você. Se você chegou no horário marcado e eu não, você vai aguardar com calma, porque você sabe que eu vou chegar. e só isso já é amor), o amor tem que ser bondoso também (nunca desejar o mal, de uma forma que eu jamais vou fazer nada querendo seu mal, nunca vou pensar em te magoar ou falar algo esperando que você se machuque, jamais. Assim como eu sei que você nunca faz nada por mal, nunca quer me magoar, nunca), o amor nunca arde de ciúmes (por que eu teria ciúmes se eu te amo sem egoísmo? Te amo e isso já me faz feliz, fico mais feliz ainda por saber que você me ama, enquanto você me amar será uma imensa festa. Não quero sofrer de ciúmes, ciúmes é uma dor, e nós não estamos aqui para ter ciúmes só por egoísmo, isso é coisa de adulto que só pensa em si mesmo, e nós somos crianças que sabemos o que a vida é - quando você entender o pequeno príncipe vai saber). O amor não é orgulhoso, nem sente vaidade e muito menos fica contando vantagem pras pessoas (quando se ama, só se ama, não precisa falar pra ninguém, porque interessa só que você sinta e isso é o que importa, ninguém tem que saber). O amor é acima de tudo educado (o amor é uma pessoa que sabe a hora de falar e de calar, e acima de tudo, sabe o que falar. O amor não é inconveniente da forma que grita, tenta chamar atenção ou faz as pessoas se sentirem desconfortáveis; muito pelo contrário, o amor é uma instância de conforto e boa educação, todos gostam de ficar próximos a pessoas educadas). O amor não é egoísta (jamais vai pensar em si mesmo, aliás amar é totalmente o oposto disso, amar é justamente pensar no outro com alegria e um desejo de querer ver o outro bem, apesar de tudo), é nunca se irritar (porque se tem paciência e compreensão) e principalmente nunca guardar mágoa, mágoa é algo que não tem nada a ver com o amor (se alguma vez alguém que você ama fez algo que te deixou triste, você perdoa e esquece, esquece mesmo, porque é algo passado, as pessoas aprendem com os erros e o amor é um curativo definitivo). Quem ama nunca se alegra com a injustiça ou com o que é mal, na verdade se alegra muito com o que há de bom e luta pela verdade e pelo que é decente. Quem ama sofre o que for preciso, crê em todas as promessas, espera com alegria o tempo que for, suporta qualquer dificuldade, sem ver tudo isso, necessariamente, como algo penoso, no fundo vê qualquer dificuldade vencida por amor como algo bom. E é. O amor é paz e tranquilidade, amar não é se humilhar ou delirar, não é se machucar, nem cobrar, amar é amar, é felicidade, é valorização. Amor é tudo o que temos na vida, com o qual construímos e tudo e sem o qual não teríamos nada, nem a vida. 

terça-feira, 12 de maio de 2015

Para o kaco, pela milésima vez.

embaixador dos sorrisos inequívocos do meu coração. gosto dessa foto porque é muito lindo como meu cabelo se sente feliz na tua bochecha e dá pra ver direitinho como teu braço sentiu a textura quente da minha blusa, quase soltando uma faísca do tamanho atrito; dá até pra perceber um rei e uma rainha agarrando nas mãos seu maravilhoso pedaço de terra, outorgado e conquistado, da mesma forma.

quiqui9630 is the secret code.

Esse fim de semana foi o aniversário da Vivi e é meio estranho ver ela fazendo dezesseis anos porque seguindo a ordem que há em nossas idades isso significa que eu realmente estou ficando velha. D: Eu poderia dizer "que bom! estamos crescendo!" mas que nada -.- it sounds weird. Eu não sou dessas. 
Mas o aniversário foi incríveeelll!!! Nós fizemos aquilo que fazíamos sempre, mas deixamos de fazer há um tempo, mas vestidas especialmente pra ocasião. 
Foi melhor porque a gente compartilhou nossas experiências com as Rookies - e a vick tá lendo e marcando o que há de melhor pra mim, considerando que nada naquela revista é dispensável - nossas descobertas kawaii, aquelas histórias das amigas da vivi que a gente ouve, não acredita e fica passada e uma sessão sem fim de : O.O sério? 
Sim, porque é tudo quase surreal.




A Vivi levou a gente pra beber suco num lugar muito fino - depois de ser excêntrica, pra não dizer hipster, comendo yakisoba (eu só teria pensado em pizza); um lugar tão fino e tão a cara dela que ela tinha até um cartão fidelidade (!). Como eu to nesse momento rosa da vida eu pedi o suco "super desintoxicante - frutas vermelhas, beterraba e cenoura", porque eu quis ser saudável sendo fofa. Elas riram de mim porque eu não tenho a menor cara de garota saudável e pra falar a verdade o suco tava sem açúcar e eu tava morrendo :'( mas era bom, anyway. 
AAAAAAAAAAAAAHHHHH A GENTE É LINDAAAA!!!


Eu finalmente achei um momento perfeito pra usar meu creeper + meu blue jeans + minha blusa preta de manga-use-com-tudo-e-fique-cool (!!!!!!!!!!). Oh Christ! Eu tenho amor pelo creeper primeiro por ele ser um creeper, depois por ele ter sido encontrado da forma mais "blessed" possível, armação do universo, e por ele ser rosa. E esse choker da Vick me deixou muito cool! Eu nem podia me aguentar. uh. Eu tava pronta pra ir numa festa da Rookie.



 Li num livro de poses de modelos que se você colocar as mãos dessa forma elas vão parecer garras. Quis ser feroz u.u tava feliz u.u feroz de feliz u.u 


Lots of love, 
Catluvr96 rocking on girl-parties.
p.s: voltar nesse blog me deu a vontade de editar as fotos de novo, como nunca, e vendo assim elas ficaram lindas <3 
p.ss.: gee i'm in love with this day lol

Platforms


MOM. Em memória de todas as minhas irmãs que também ouviram isso no repeat, choraram um pouco, ficaram perplexas ao ver o vídeo *lindo* no instagram, porque M.I.A coming back with power power  <3333333333333

***espero não perder o dom de escrever e parar de postar textos legais aqui, vou tentar o meu melhor pra agradar a mim mesma, porque morro de saudade de mim mesma***
Era engraçado porque, toda vez que ele me fazia sorrir ou rir, eu sentia uma vontade incontrolável e de explicar pra ele o quanto eu o amava.
- Ágata Paredes
Meu garoto, eu não sei quando foi que parei de escrever pra você, mas não importa, a melhor coisa que faço é escrever, não que faça isso bem. Mas, se tem algo que eu sei é que todos se rendem nas minhas palavras e apenas nelas, mas você não, você gosta de mim por tudo e não só pelas minhas palavras. O que é lindo, porque você conhece o meu eu, que é coletivo. Esses dias de comemoração são sempre úteis pra gente ter um motivo pra lembrar de tudo, eu sempre lembro de você, sempre lembro de como você era engraçado, lembro da primeira vez que te vi - eu estava assustada de estar em um colégio novo, e de cara eu te achei legal. Lembro das vezes em que sentia, bem na minha cabeça, uma voz lá no fundo que dizia "eu amo esse garoto". Eu amo você, amo suas caras, adoro seus olhos que são tão expressivos e só de olhar pra eles eu já sei tudo o que se passa dentro de você. Eu sempre pergunto "o que há de errado?" porque eu quero ouvir você falar, acho lindo, acho engraçado. Acho engraçado, porque é muito bonito como você é diferente, você tem um jeito de falar tão seu que se eu fosse escrever um livro eu ia fazer todos os personagens serem exatamente como você, porque eu te acho muito legal. Lembro sempre da vez que eu disse "arthur, tenho um outro segredo para te contar" e você revirou os olhos, sorriu (um sorriso que eu nunca vou esquecer na minha vida), estava sentado em um canto alto, com os pés balançando, as mãos apoiadas sustentando o corpo e os braços muitos claros, um cheiro sem igual... sem igual... se tem algo que mudou em você é o cheiro e eu sinto falta do cheiro do colégio. E nesse momento você falou "ai, o que é dessa vez, Brunna?"; não sei se você sabe, mas me apaixono por pessoas que me chamam pelo nome, e o meu na sua voz é muito mais bonito. Nunca me esqueço desse dia, nunca me esqueço de como estava apaixonada. Eu nunca quis me apaixonar, sabia do mal que isso causava, ainda sei. Mas, se há algo que eu concordo é que por você vale a pena, vale a pena me apaixonar e deixar meus olhos ficarem inteiramente cegos de amor por você, porque não há nada que você faça que me faça ser indiferente a você, talvez exista, mas eu te conheço e sei que você nunca quer fazer por mal. Se erra é tentanto acertar. É a tua inocência que eu amo, porque eu odeio o mundo e todas as pessoas porque elas são más, são muito más e tramam sempre o mal contra todos e nunca é bom o suficiente elas sempre querem fazer mal e sempre são más... é sempre assim e tudo isso é muito irritante, a forma como as pessoas querem e buscam coisas inúteis me irrita e tudo é um grande tédio. Mas, vem você, vem você com seu jeito de criança, seus olhos inocentes e expressivos, sua carência bonita, seu carinho adorável, seu amor tão intenso... não há o que fazer... eu me rendo a seus olhos e de repente amo viver, de repente eu não quero estar viva apenas agora, mas eu quero viver muito. Sei que o mundo é mau, mas com você eu me sinto feliz, Jesus me deu um motivo material para querer viver, quero ser mãe de todos os seus filhos. Imagino muito que cara nossa Lolla vai ter, o César, o Ulisses, a garota-com-o-nome-que-você-escolher, a Mallu, o Walter, o Jesse, a Blair, a Serena e todos eles! Imagino se teremos paciência, mas sei que teremos amor, amor além das medidas e além de qualquer limite, porque se nos amamos assim eu imagino quanto amor haverá para eles! Muito amor! E é por esse amor, se me perguntam o que quero ser quando eu crescer sempre digo "mãe", "mulher do Arthur", tudo isso que envolve a responsabilidade de ser a mulher mais feliz do mundo. Quero estar com você todos os dias, acordar e dormir com você, brigar com você, ter raiva, ficar emburrada, ver você com raiva, ver você chorar, ver você nervoso, desesperado até... Quero estar com você pra tudo, quero ser sua mulher e você pra ser meu esposo, o homem da minha vida, o lugar onde descanso e onde planto todas as sementes dos meus sonhos, o meu amor, minha paciência, minha calma, meu coração, minha vida. Mas agora... No momento é pra sermos crianças, ouvir Lorde, curtir as coisas que podemos fazer enquanto crianças, mas se alguém chegar pra dizer "você não podem fazer isso" vamos olhar de cima, fazer cara de sério e dizer "sou adulto, sei o que estou fazendo". Mas, somos crianças! Somos duas crianças indo pra quadra de tênis e dizendo Yeah sem parar. Vivemos um holograma. Ficamos perto da piscina, porque tudo é tranquilo quando estamos fazendo algo pra nos divertir. Nos convencemos de que jamais seremos jovens de dentes brancos, porque somos melhor que eles. Não merecemos o luxo, mas você será rei e eu serei rainha. Quero fazer bobagem, ficar sem fazer nada, sem falar nada, só sentir o vento, ouvir música, pensar em nada, deitar a cabeça no seu ombro, fazer carinho na sua mão, não pensar em nada... matar o tempo assim... não importa que passe, não importa que o espaço seja o que é, não vamos pensar nisso. Nos sentimos felizes contando moedas e dinheiro, achamos engraçado rir de não termos dinheiro. Você me dá todo o espaço que eu preciso pra eu me sentir bonita fazendo o que for, com a boca escura ou com o cabelo assanhado, você me acha bonita e por isso eu nunca dou a mínima se me acham feia, eu sei que todos me acham bonita; aprendi com você, quando passo batom escuro e todos me olham eu vejo que eles pensam "essa garota é F**a". Quando eu saio com você me sinto confortável, me arrumo de um jeito que acho legal, pego pesado na maquiagem as vezes, porque gosto de me fantasiar, gosto de imitar todos esses losers que também acham engraçado toda essa sociedade totalmente depressiva, me visto de um jeito diferente, tento, porque você gosta de mim de qualquer forma, e quando saio com você assim me sinto uma garotinha vestida com uma roupa de fada segurando a mão de um garoto vestido como um rei. Você é o meu amor, o meu rei, eu sou uma garotinha com uma fantasia de fada ao seu lado, segurando sua mão. Eu quero casar, quero tudo isso, quero te ver muito, mas agora eu quero me divertir, porque somos jovens agora, então vamos fazer o que tivermos vontade, não vamos ter preguiça, vamos fazer o que tivermos vontade e não vamos fazer nada que não gostarmos. Dá muito medo ficar velho! Eu quero viver tudo que eu tiver força agora, quero ser sua melhor amiga, quero deixar todo sofrimento do medo de não ter você pra lá, todo vontade incontida de querer casar ficará guardada, porque agora eu quero ser uma criança, você meu melhor amigo. O melhor. O melhor. Eu te amo, com toda a força que meu coração pode, eu te amo sinceramente, eu não sei explicar como me sinto bem com você, como me sinto a vontade pra falar o que eu penso e embora as vezes algo te machuque tudo bem, porque teu coração se conserta automaticamente com a minha presença, você não sabia? Relaxe, não esquente com nada, não pense muito, pensar estraga tudo, eu te amo com tudo, como tudo, você é o amor da minha vida e tudo pra mim é secundário, não há nada que eu queira. Quero só me divertir om você, não quero ter complicações nem ficar estressada, quero ser sua garotinha enquanto posso. Dá muito medo ficar velho. É maravilhoso ter dois anos. É agora que já sabemos andar e vamos aprender a falar, temos uma vida inteira.

You're the only friend I need 
Sharing beds like little kids 
We'll laugh until our ribs get tough 
But that will never be enough

segunda-feira, 11 de maio de 2015

"Sempre dá pra ser mais kawaii"

Acho que esse blog é o meu principal registro de vida! Por isso não poderia esquecê-lo. Queria considerar que 2014 foi tão ruim que eu não tive momento para fazer postagem nenhuma! Não há registro sobre ele, senão o que vou colocar depois. Mas, preciso registrar minha nova fase e eu me sinto SUPER KAWAII!

Em 2012 eu nunca havia ouvido essa palavra até que eu vi esse post no blog da Mallu Magalhães que eu acessava frequentemente na época. Fiquei interessada em pesquisar sobre coisas Kawaii quando vi que ela relacionou o assunto com "cultura japonesa" e "gueixas", achei que seria fantástico e sim! Era! Desde então fiquei apaixonada e creio que hoje todos a minha volta são um pouco também ^-^
Sou muito viciada no meu computador que eu comprei depois que comecei a trabalhar e adoro passar horas deixando ele mais bonitinho <3 Acho que isso demonstra um pouco da minha fase atual que é: arrume tudo e logo! seja minimalista e logo!