sábado, 25 de junho de 2016

Andy & Debb

"Known for: Polished minimalism that can be either retro or futuristic"

 Seoul Spring 2016

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Simone Rocha

 Fall 2013 Ready-to-Wear

segunda-feira, 13 de junho de 2016

SJYP Seoul 2016

SJYP é uma marca de dois coreanos. Gangnam style. Essa coleção é da semana de moda de Seoul. Coreia mon amour. 

Acho horrível quando uma revista vai falar sobre jeans e começa com "o que foi criado para agricultores" aaarhhg que papo chato (a indireta é pra você, Elle). Essas roupas parecem nem levar em consideração que jeans é o que é, mas que ele pode ter todas as possibilidade de azul. Aplausos para os corebas.
Macaquinho que o Arthur disse que acha horrível, mas só porque ele não viu esse. 

Twins witches

Pra Amora que nasceu para os anos 80. 

O jeito certo de usa cropped. Que nome triste. 

 O vestido que eu queria conseguir fazer com as roupas velhas do Brad

Podia ser o vestido do meu casamento MEU DEUS QUE LINDO


Oversized t-shirt (certas coisas não sei escrever em pt, pq senão fica "uma blusa bem grande")

 mangas de cigana e jeans anos 70

 Como usar a blusa da namorada

 o MELHOR jeito de usar minissaia sapato branco conjunto sianinha e vermelho e azul


brinco enorme e um bordado simples é mais bonito 

Dinossaurrrrr

segunda-feira, 6 de junho de 2016

S=YZ Primavera 2016

Gangnam style significa que é algo do bairro mais rico da Coreia, como essa marca. Definitivamente as roupas das bruxas que vivem entre nós, com todo o poder do boredom, a leveza, a sensualidade e a mágica do mistério.
 
Isso são veias? Um caminho? Uma cidade? Rios?
Saia lápis!

sábado, 4 de junho de 2016

Emma Mulholland

Fall 2013. Anos 90, essa coleção é pra você.
 
 
Free Willy!
Ainda não pesquisei muito sobre essa artista, mas sempre achei essas roupas as coisas mais iradas que se poderia achar sobre os anos 90. Houve uma época em que eu não tinha internet na casa do meu avô, então eu ia na lan house, entrava em vários tumblrs, apertava ctrl + S e salvava em um pen drive pra eu ver em casa porque na lan house eu só tinha uma hora. Foi quando conheci com sinceridade a cultura dos anos 90, tirando a vez em que eu vivi nela (!). Entre todas as coisas incríveis que podemos lembrar dessa época, acho que essa transição entre os 90 e 80 é a melhor parte, porque foi quando os computadores foram se "popularizando" um pouco mais e surgiu essa arte menos profissional, com cara de pixação. 
Uma vez o Arthur foi fazer um dos primeiros trabalhos da faculdade de computação e enquanto estudava criou alguma coisa que tinha um estilo gradiente e disseram: sério Arthur? Ninguém usa mais isso. Ele ficou triste porque foi super difícil fazer. Uma homenagem ao gradiente que com esse tempo todo ainda vai voltar a glória.