sábado, 17 de dezembro de 2016

Como se diz câmera em jp?!!

Eu quis postar isso no g+ porque é oficialmente minha rede social favorita, mas esse blog guarda todas as minhas fases desde algum tempo e não poderia deixá-lo. Então aqui vai o resumo desse dia maravilhoso! 

Primeiro, minha câmera finalmente ficou pronta!!! Eu comprei no começo do ano porque queria tirar fotos com o Arthur quando a gente saísse e meu celular era muito ruim, e queria algo como em 2009 que eu tirava várias fotos aleatórias na câmera da Luana e no fim do dia ela mandava todas as fotos pra gente pelo msn! Eu adoro ter vivido essa época, foi genial. A minha câmera é um modelo super simples que os gringos chamam de point-and-shoot que é a mais básica das câmeras. Quando eu recebi ela estava com um problema que não ligava direito e eu levei séculos pra levar na autorizada, mas finalmente aproveitei as férias, levei e ela está maravilhosa! 

Mas não acaba aí! Eu comprei no enjoei de uma moça que provavelmente morou no Japão!! E a câmera de fato é toda em jp e realmente foi comprada lá e eu sei disso porque tenho a nota fiscal em jp! É a dream come true.
Nào é tão difícil lidar com ela em jp porque tenho a intuição e até agora tem dado certo. Então, eu saí com a Vivi e a Victória porque estava na minha lista de obrigações das férias e foi simplesmente MARAVILHOSO! Acho incrível que sempre que eu to com as meninas a gente sempre ri como um bando de hienas e eu não entendo o motivo, mas é genial. E foi um ótimo momento pra eu tirar fotos com a câmera nova, principalmente porque as meninas estavam vestidas muito bem! Eu não entendo esse poder de se vestir bonito que algumas pessoas têm, é admirável. Só pra deixar registrado, comemos uma das melhores comidinhas com abóbora da vida e foi caro que só. 
 A vick me ensinou a usar a câmera analógica - por quem quero me apaixonar - e nesse momento pra falar a verdade ela tava me mostrando o cellphone. Mas a Vivi super deveria ter um diário de fotos porque sinto que ela tem o olhar! Vivi, espero que esse post chega até você.


♥♥♥
Hoje eu tirei outras fotos e eu pensei que poderia editar no photoscape, mas acho que se não for pra fazer coisas iradas como as que a Vick faz eu não sei se vale a pena, então não editei foto nenhuma, apenas cortei no tamanho pra revelar e voilá
 O Arthur super afim de um globo de neve
 Perplexo com os babados de Game of thrones
A mansão do vizinho ~a hora mágica em que o céu de Fortaleza fica rosa
Espero aproveitar minhas férias ao máximo e fazer um diário de fotos em Juazeiro e quem sabe mandar pra Rookie pra elas verem como vive uma brasileira nordestina e tudo mais, além do mais fico imaginando alguém no futuro vendo essas fotos e observando detalhes despercebidos de hoje. E o que mais gostei é que a luz nessas fotos é a iluminação natural do local com exceção de algumas fotos com o flash e outras que aumentei um pouco o brilho, mas nada além disso, espero evoluir com o tempo.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2016

Bipolar show

Gostaria que soubessem o quanto um like significa.

Comme des garçons 18th-Century Punk

"The fusion of 18th century and punk may seem unlikely, but “I suppose there was punk spirit in every age,” Rei Kawakubo says. 
“I was thinking that there had to be women in the 18th century who wanted to live strongly. So I designed what I imagined this type of woman would have worn, and called it ‘18th-Century Punk’.” 
Dig deeper and the 18th century was indeed an era associated with both revolution and change."

Warriors
 
 
 
Warriors.

Kohinoorgasm, azaadi

Ainda estou definindo qual a função desse blog, já que estou enchendo ele de imagens.

A fotografia de um filme pode ser percebida boa ou ruim quando pausamos cada segundo de cena e aquela imagem é boa, e bonita. Quer dizer, é como em Her, ou em Mad Max. A fotografia é como uma foto com movimento e som que dura alguns instantes. Tenho percebido ultimamente um estilo de fazer vídeo de música que foi estonteante no clipe da Solange, em que cada cena é uma foto com pequenos movimentos, como se cada pequena cena pudesse estar em uma galeria de arte. Assim como esse clipe dessa cantora, Josephine Shetty, que mistura a língua indiana com o inglês para representar sua cultura. 
 
 
 
 
 
 

O cabelo é o ponto central, numa música que fala sobre liberdade. Quando começou uma onde afogante de alisadores de cachos, imediatamente, eu senti amor pelos meus de maneira que eles deixaram de significar algo que eu deveria manter arrumado e deveria deixá-lo como quisesse porque ele significava alguma coisa. Antes de todo essa propaganda de métodos milagrosos para ter cachos bonitos, eu já tinha certeza que ter cacho era ter uma coroa, era ter beleza, não falando por mim, mas por todas as pessoas com cabelo natural que não tratam isso como um problema, ou como algo que deva ser curado para esperar certa interpretação sobre sua identidade. 
Whether we are using our hair or hairstyle to establish our freedom of expression, or whether our hair or hairstyle is being policed by others, it is a site at which our freedom is observed.
- Josephine Shetty, para Rookie
 
 
 
 
 

quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Daniel Johnston

Quando eu não tinha internet em casa e tinha que ir pra lan house, baixei várias playlists da Tavi no 8tracks e como não tinha internet em casa nunca tive como pesquisar sobre os cantores que eu estava ouvindo. 
Hoje, olhando o blog da Tavi, vi uma blusa com a estampa de um sapinho que me aprecia familiar e descobri que era de Daniel Johnston. 
Style Rookie
Ele foi um músico, cantor e compositor que fez várias músicas em casa gravando cds em fitas cassetes na década de 80 e 90, ele sofria de transtorno bipolar e esquizofrenia. Seu cd mais conhecido é Hi, how are you, exatamente o que tem a capa do sapinho. Nesse cd tem a música walking the cow, que estava em uma das playlists que baixei, ouvi sem parar e nunca soube de quem era. É maravilhoso. 

A música também tem o dom do significado.

Colin Firth

Eu acho o Arthur muito bonito, sinceramente ele é. Sempre que vejo um outro homem que também seja bonito eu automaticamente acho que ele se parece com o Arthur, não porque eles têm traços parecidos ou detalhes físicos que sejam iguais, mas porque ambos guardam na feição a beleza. A beleza é física e perceptível. Se eu encontrasse com o John Mayer com certeza, se tivesse tempo de conversar, eu diria que ele e meu namorado têm algo em comum e que são muito parecidos, os dois são muito bonitos. A beleza não é mais nem menos, ela é uma luz iluminando o rosto de alguém que você gosta de olhar, que você olha a ponto da pessoa se sentir constrangida, porque a beleza constrange.
Hoje assisti o diário de Bridget Jones e tive uma outra percepção sobre filmes românticos. Quis, desesperadamente, olhar pro Arthur e ver a imagem projetada para o deleite que essa fotografia conseguiu:
Com toda a aura de beleza que lhe pertence.

Vai e vem, de Samuel beckett

FLO - Ru.
RU - O que é?
FLO - O que você acha de Vi?
RU - Vejo pouca diferença

RU - E ela não percebe?
FLO - Deus queira que não.

VI - Flo.
FLO - O que é?
VI - o que você está achando de Ru?
FLO - Não dá pra ver nesta luz.

FLO - Estou sentindo os anéis

VAI E VEM
de Samuel Beckett


um lugar para ficar em pé

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

A&F Quarterly

Fall 2001. Photography by Bruce Weber and art direction by Sam Shahid.

Ruthless people

Esse filme reúne todo o estilo dos anos 80 de uma forma inexplicável! A história, basicamente, gira em torno de um milionário (que por acaso é Danny Devito) e como ele tem que fingir pra polícia que está triste pelo sequestro de sua mulher e fazendo exatamente o contrário do que os sequestradores pedem porque ele quer mesmo que a mulher morra. O título do filme em pt é "matem minha mulher, por favor". A mulher dele é a mesma atriz que fez abracadabra e acho incrível como ela realmente tem uma carinha bruxa, mas que com o desenrolar do filme vamos aprendendo a gostar. É simplesmente sensacional, mas nada, absolutamente, vence o poder da beleza estética desse filme. 
Primeiro, a abertura é maravilhosa e gráfica e colorida.  
Como esse post tem screencaps infinitos, vamos por partes.

A casa

 
O porta-retrato
 

O cativeiro
 

A prisioneira porém witch

que rainha ♥
Os sequestradores mais amáveis


Os poderosos figurinos dos figurinantes

Esse post é um oferecimento de/a Amora, a mais linda fã dos anos 80 que passou todo o filme na minha mente!