28 fevereiro 2017

Hubert Laws tocando Where is the love nas estrelas

Resolução: Consumir as coisas devagar e com calma. Registrar aqui.

Essa resolução sobre música, porque com o spotify eu fico tão cheia de músicas novas pra ouvir que dificilmente dou atenção ao que estou ouvindo ou acabo ouvindo o cd do Kanye West repetidamente. Sem contar que a cada música novo eu queria catalogar nas minhas playlists pra que eu nunca perdesse aquela música boa. Comecei a ficar ansiosa e é terrível. Então, decidi ouvir cada álbum por vez, consumi-lo e se gostasse de uma música, realmente, colocaria numa playlist mensal (ideia que copiei da Rachel Cobb), porque tenho a sensação que todo mês descubro uma música nova e deve ser legal voltar ao mood de uma época.

Por exemplo, em 2014 eu acessava muito o site da Tavi e ouvia bastante as músicas que ela compartilhava e isso formou de alguma forma meu gosto musical, mas eu não tenho nenhum registro daquela época, de quais músicas eu realmente gostei e apesar de eu pesquisar o artista e a capa do álbum eu nunca sabia de onde era a música ou se haviam outras boas também... Eu criei uma playlist com essas músicas, mas não é a mesma coisa, definitivamente.

Por essa razão, aqui está a descoberta:
Nessa festa de arromba a banda está cantando "Where is the love", uma música dos anos 70, interpretada por Roberta Flack ( a mesma que canta "killing me softly) e Donny Hathaway.
Que capa!
Mas essa não é a descoberta. Hubert Laws, um flautista de Jazz, muito famoso e aclamado, com uma música incrivelmente boa e calmante, que toca uma versão genial de "Where is the love" de um jeito que parece ser lullaby para estrelas ou algo cósmico assim de outro planeta. A música faz parte do álbum "Morning star". O álbum inteiro é muito bom, a música "No more" é genial. E "What do you think of this world now" me dá a ideia de que ele realmente está fora da terra e que eu peguei o feeling da música dele, me transportando.

24 fevereiro 2017

Quantas conexões: limpeza de pixels.

Na última aula de constitucional da professora com sotaque latino mais maravilhosa do mundo, ela deu uma ideia: Ler artigos jurídicos, os mais simples inicialmente, e pra não esquecer, escrever um pouco sobre o que leu como um resumo, pra que pouco a pouco o vocabulário fosse enriquecendo e o conhecimento também. Ela terminou com "leiam pelo menos os sites, o ideal seria que lessem os livros, mas vou ser realista". Eu já sabia desse método de escrever sobre o que se lia, é dessa forma que estudo pra faculdade, mas vendo por esse lado de "textos jurídicos" parece muito mais sério e eficiente.
Nova resolução: Ler artigos e fazer resumos. Não se importe com números, só faça.
Acho que as resoluções do ano novo nunca terão fim! Vou criar uma lista.

Pra começar, infelizmente não é um texto jurídico, um texto (10 resoluções digitais para pessoas que passam muito tempo online) com dicas para fazer uma limpeza digital e de limpeza eu gosto.

Para purificar é importante, primeiro, dar unfollow em quem não faz bem como lojas que incentivam a comprar (e eu quero evitar), pessoas que só querem se promover (stop selfie com carão sem nada demais 2017!) e gente que não me alegra em ver as fotos ou os posts. Eu li em algum lugar (que infelizmente não consigo encontrar) que o instagram é uma ferramenta poderosa porque tornou-se uma galeria de arte disponível a qualquer pessoa e isso é o que todos os feeds de fato deveriam ser! Resolução: festival de unfollow. Transformar o feed do instagram em galeria de arte. Se desinscrever das newsletters era algo que queria fazer faz tempo, porque antes eu ficava pensando que precisava de mta informação durante o dia e me inscrevia em zilhões de newsletters pra ter o que ver durante o dia, mas ultimamente eu to assim: aaaahhh que saaacooo eu não quero e nem posso comprar nadaaaa essa cartinha de novidades só tem besteiraaaa. Usei o Unroll.me pra me descadastrar e foi só sucesso.
Ele ainda fala sobre abandonar uma rede social e fala claramente do fcbk, mas sobre isso eu vou apenas dar unfollow nas pessoas sem graça e manter os grupos porque são mto bons! Não vou excluir nenhuma rede social pq depois me arrependo, mas vou apenas deixá-las num hiato. Por exemplo: passei mto tempo sem mexer no blogger, g+, we♥it e last.fm e ultimamente tenho tido o maior amor por eles <3 (acho que é saudade que tenho de quando a internet era ótima!) Mas uma coisa interessante que a moça desse post (vida sem fcbk) disse é que com o fcbk ela ficava mto limitada, achando que a internet se limitava àquilo e quando fechava ficava pensando "não tem mais nada pra ver"? É praticamente um relato meu! Eu pensei nisso hoje de manhã. Por isso, vou coletar todos os links que salvei no fcbk, ler e os interessantes registrar aqui no blog. Resolução: Ver links salvos do fcbk.
A outra dica (e acho que a mais difícil) é acordar e não ir direto olhar o celular, pra isso ele pensa até em comprar um relógio analógico. Eu de fato quero fazer isso, porque perco 20min de manhã só no celular e sempre quis um despertador analógico - mas isso significa ter que comprar! Então vou focar no celular pequeno que tenho, até pq não tenho um celular com redes sociais, gosto de chamar o celular que uso pra acessar a internet de pager♥ Resolução: não acessar a internet antes de me arrumar pela manhã.
Parar de dar ibope pro que eu não gosto! Porque hatear é mais poderoso pra divulgar do que qualquer coisa, por isso vou ate´copiar o texto:
"Neste ano apoie ainda mais as pessoas, projetos e ideias em que você acredita. Se você não gosta do trabalho de um político, mostre o trabalho de outro que você apoia no lugar. Não tem dinheiro para apoiar um crowdfunding? Divulgar já é uma linda moeda. Se você adora um perfil no Instagram, divulgue, conte para os seus amigos. Gaste seu tempo colocando em evidência tudo o que você quer ver brilhando em 2017!"
Que coisa linda! Resolução: Divulgar apenas coisas boas!
Ai esse texto é tão bom, que a próxima é genial! Acho que o fato de eu sentir saudade da internet de antes pode ser explicado de maneira mais rebuscada e complexa dessa forma:
"A internet era uma janela para o mundo. Virou o nosso espelho". (...) Cabe a nós fazer essa retomada: acompanhar pessoas e iniciativas diferentes de nós, apontar mais a câmera para o mundo do que fazer selfies.
Eu decidi que não ia mais discutir política ou sobre as questões do  momento no fcbk, ou em lugar nenhum. Ao contrário, vou ver as discussões! Por isso to querendo seguir blogs pessoais (e manter o meu) pq é a melhor comunidade! É onde alguém de fato argumenta sobre algo e expõe seu pensamento e tudo mais. Eu tenho um amor imenso pela rookie, mas aos poucos to descobrindo que existem maravilhas além dela! Resolução: Navegar!
Por fim, algo que sei mas gosto de ser lembrada, vou ser a mudança que quero ver. Sinto falta de pessoas sem ódio na internet, ou que escrevam coisas com sinceridade ou que sejam reais no que postam na internet, sem considerar que por estarem anônimas podem escrever absurdos, mas tendo a internet como um espaço para ser real e se conectar. Então, eu serei esse tipo de pessoa, ao menos.

Logo crio minha lista de resoluções, espero no fim do ano reavaliar e ver no que deu e se eu cresci na vida dentro de mim ♥

12 fevereiro 2017

NHK eu te amo

      Eu nunca fui de assistir anime, então nunca fui otaku, então boa parte da cultura oriental eu nunca fui mto fã a ponto de saber correr que nem Naruto ou de cantar em jp. Mas eu amo o Japão, sinceramente, e não só isso, mas a China e a Coreia e tudo do oriente que eu vi até agora. Algo que me deixa absurdamente feliz é assistir a tv japonesa, porque é interessante pensar que aquilo não é um programa gravado ou que aquilo não é feito de modo a dar uma visão ao ocidente sobre a vida dos japoneses, é de fato os programas que o japoneses assistem; claro, não sei se esse canal é popular no Japão, mas tudo é em japonês e não tem nenhuma letrinha ocidental sequer, o que significa que eu assisto sem entender absolutamente nada, mas graças a nossa capacidade de interpretar sempre dá pra entender uma coisa aqui e alí.
     Uma vez um programa ensinou como fazer papel reciclado com flores dentro. Já vi também uma cidade coberta inteirinha de neve e o aconchego das casinhas de madeira. Ontem eu assisti uma programa de exercícios que ensinava alguns movimentos simples e repetitivos que poderiam ser feitos até sentados para esticar tudo, ao mesmo tempo que uma música no piano acompanhava. 
     NHK hoje, amanhã e para sempre!