17 julho 2017

salva

     Esse fim de semana eu não tirei fotos, eu quase não acessei a internet, eu não fiz praticamente nada como tenho feito ultimamente, mas foi tão m a r a v i l h o s o !!!! 
     Primeiro, a Victória vai viajar, mas a Vivs vai ficar em casa de férias e eu fui selecionada para o cargo de companhia e achei muito ótimo porque a Vivi é super predisposta a fazer coisas novas. Pelo que vi ela tem também uma super visão estética vinda dos vídeos coreanos que são realmente muito bonitos e inovadores na sua simplicidade. Ela me mostrou uma série que tá fazendo e eu fiquei meio.... hm... "nossa como vai ser engraçado quando ela assistir isso daqui alguns anos". 
     Segundo, a gente foi no centro 
pausa pra comentário importante: !!! Eu estava na parada de ônibus, sozinha, e fiquei com muito medo do perigo dese estar sozinha numa parada de ônibus em Fortaleza e comecei a orar pra me acalmar. e tchan tchan tchan tchaaaan::: apareceu uma senhorinha vinda aparentemente do nada pra me dizer que não gosta de ver gente sozinha na parada e que ia aguardar comigo. eu fiquei tão feliz!!!!! Que pessoa admirável♥ A Victória me contou que uma vez desceu do ônibus e ficou com medo do caminho que enfrentaria sozinha até chegar em casa e tchan tchan tchan tchaaaan::: uma moça desceu do ônibus junto com ela e foi fazer o mesmo percurso e elas foram juntas ♥♥♥♥ Fiquei pensando... Com certeza nada teria acontecido nessas duas situações se estivéssemos sós, mas mesmo assim estávamos com medo, e Deus nos apresentou essas pessoas ótimas não pra nos proteger exatamente, mas simplesmente nos tirar o medo. Não é isso? Não é bonito? 
     No centro tava tudo muito esquisito. Tinha poucas pessoas, uma solidão, as lojas fechadas, algo realmente estranho. Mas ai eu comi aquele maravilhoso kit do Dudas que tem cuz cuz e eu fiquei muuuuuuuuito feliz, porque eu AMO a comida daqui, é uma riqueza. A gente foi no mercado central e adorei a sensação de conhecer um pouco de tudo aquilo que tinha lá, porque era exatamente a cultura daqui e eu me senti como alguém que está em casa e se sente muito à vontade. 
     Terceiro, a melhor parte de ir pra casa da tia Joana é que: as conversas são tão ricas, interessantes e divertidas que eu quase não lembro de internet ou de qualquer outro problema. Eu sempre aprendo muita coisa e a Victória tem um poder de fala fora da realidade e é muito bonito !!! Ser aluna dela vai ser uma dádiva total. Outra coisa boa é que atividades como arrumar um quarto inteiro de livros bagunçados não se torna tão ruim porque estamos juntas e temos tantas ideias durante o processo e ficamos sempre afoitas com a possibilidade de encontrar tesouros no meio da bagunça. E realmente encontramos. Até o ar que eu respiro quando estou lá é leve, eu consigo ser eu mesma, elas me conhecem e temos muitos valores parecidos e nossa visão de mundo de alguma forma se encontra. Só estou deixando isso bem claro e registrado pra que a Brunna do futuro saiba como a vida na casa do Arthur é tensa e solitária. 
     Por enquanto, vou guardar todos os mus projetos artísticos pra fazer com a Vivi essas duas semanas, estou muito empolgada, vou até fazer uma programação.

Nenhum comentário: